História do Cerco de Lisboa
73ª Produção
Estreia: Julho 2017

 

Saramago reescreve a história do cerco de Lisboa: só quando Mogueime conquista Ouroana, é que é capaz de levar a cabo a acção heróica de invadir o castelo dos árabes, simbolo do poder mourisco sobre a cidade. Saramago dá essas cartas a Raimundo Silva, um revisor de livros medíocre e amargurado. Ao lê-las, Raimundo sente-se com forças para se aproximar, de forma decidida, de Maria Sara, conquistá-la e finalizar a sua obra de ficção. Este é o último cerco a ser derrubado - como formula Saramago -, o da solidão de Maria e de Raimundo.

Co-Produção: ACTA/CTA/CTB/TEATRO DOS ALOÉS

TEXTO: José Saramago · DRAMATURGIA: José Gabriel Antuñano · ENCENAÇÃO: Ignácio Garcia · INTÉRPRETES: Ana Bustorff, Elsa
Valentim, João Farraia, José Peixoto, Jorge Silva, Luís Vicente, Pedro Valter, Rui Madeira, Tânia da Silva · CENOGRAFIA: José Manuel
Castanheira · PROMOTOR: ACTA